thumb_central

Central é exibido na Mostra Acessível no 49º Festival de Gramado da Sedac

O documentário Central – o poder das facções no maior presídio do Brasil, de Tatiana Sager e Renato Dornelles, faz parte da programação especial do 49º Festival de Gramado. O filme está sendo exibido na Mostra Acessível do Festival de Gramado, organizada pela Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) em convênio com a Gramadotur.

Assim como toda a programação do 49º Festival de Cinema de Gramado, a Mostra Acessível também será on-line, ficando disponível ao público de 14 a 21 de agosto, no site www.festivaldegramado.net. As produções serão oferecidas gratuitamente, com recursos de acessibilidade, incluindo audiodescrição, legenda descritiva e Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O filme teve lançamento nacional em 2017 e foi o 3º documentário mais visto no Brasil naquele ano. Central retrata a realidade do sistema prisional falido e beirando ao caos, a partir da realidade do maior presídio do país, cujo controle, a partir dos portões das galerias, é exercido pelos próprios detentos, maioria dos casos líderes de facções criminosas. Imagens inéditas denunciam o uso de drogas e a superlotação, um dos principais obstáculos à ressocialização.

Além do documentário, outros dois título compõem a Mostra Acessível como “Yonlu” (2018, 90min), de Hique Montanari, uma delicada combinação de ficção e documentário que acompanha a trágica e solitária trajetória do adolescente que dá nome ao título; e “Raia 4” (2021, 95min), do diretor Emiliano Cunha, que reflete sobre as inquietações juvenis a partir do universo das competições de natação.

O filme mostra o cotidiano inóspito do Presídio Central de Porto Alegre

“São filmes que têm trajetórias reconhecidas e premiadas pela sua abordagem”, destaca a jornalista Mônica Kanitz, que é coordenadora de programação da Cinemateca Paulo Amorim, instituição da Sedac e assina a curadoria da Mostra Acessível. Ela ressalta a preocupação dos cineastas com as questões sociais e comportamentais, tão importantes no Brasil de hoje. “O documentário “Central” fez história no país, ao apresentar um sistema prisional deteriorado. A partir deste longa, os diretores desenvolveram séries e curtas-metragens com abordagens distintas sobre o mesmo tema”, comenta. Já os filmes “Raia 4” e “Yonlu” dialogam entre si, trazendo à tona conflitos comuns à adolescência e com desfechos graves. “São protagonistas muito jovens, incapazes de se relacionar e suportar o ambiente onde vivem. É um tema recorrente e que merece a atenção de todos”, acrescenta.

Com informações da Sedac: https://cultura.rs.gov.br/sedac-apresenta-mostra-acessivel-no-festival-de-gramado

Categorias
Últimas publicações
Compartilhe esta notícia
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp